Contrato para coleta de resíduos hospitalares poderá custar até R$ 2,8 milhões à Prefeitura

Valor pago pra cada quilo coletado poderá subir até 98% com relação ao valor atual

Contrato para coleta de resíduos hospitalares poderá custar até R$ 2,8 milhões à Prefeitura

Foto: DIVULGAÇÃO - Serviço engloba a retirada de resíduos sépticos gerados pelos estabelecimentos de saúde públicos e particulares

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 07/12/2021

A Prefeitura de Catanduva programou para o dia 5 de janeiro a abertura das propostas iniciais da concorrência para contratação de empresa especializada para coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos provenientes de serviços de saúde e congêneres. O edital também engloba no serviço a recolha de animais mortos de pequeno e médio porte.

Conforme indicado no documento, para a recolha estimada em 39 mil quilos de resíduos, foi estimado valor unitário de R$ 6,08, o que alcançaria custo médio mensal de R$ 237,1 mil e, portanto, despesa anual de mais de R$ 2,8 milhões.

O serviço engloba a retirada de resíduos sépticos gerados pelos estabelecimentos de saúde públicos e particulares, tais como hospitais, unidades de saúde, farmácias, consultórios médicos, odontológicos e veterinários e outros locais geradores desses resíduos, incluindo eventuais solicitações realizadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agricultura.

Após a coleta, os resíduos recolhidos deverão ser encaminhados para tratamento adequado, conforme o tipo de resíduo, sendo que os sistemas de tratamento, sejam eles próprios ou de terceiros, deverão possuir todas as licenças exigidas pelos órgãos ambientais.

Caberá a contratada o planejamento, definição da frequência e do horário de execução dos serviços, obedecendo critérios mínimos: a coleta hospitalar deverá ter frequência diária de segunda-feira a sábado, a coleta ambulatorial no mínimo duas vezes por semana e as demais conforme a solicitação dos estabelecimentos.

COMPARATIVO

De acordo com levantamento feito pelo Jornal O Regional, atualmente a Prefeitura paga R$ 3,07 por quilo coletado pela empresa Constroeste Construtora e Participações. O valor global é de R$ 1 milhão ao ano e a vigência vai até abril de 2022. Se a nova licitação proprosperar com o valor máximo previsto no certame, que é de R$ 6,08 por quilo, o aumento seria de 98%, no comparativo.