Com novo reajuste, gás de cozinha chega a R$ 105 em revendedores de Catanduva

Valor foi cotado em três empresas que comercializam o produto na cidade

Com novo reajuste, gás de cozinha chega a R$ 105 em revendedores de Catanduva

Foto: DIVULGAÇÃO - Valor do produto acumulou aumento de 33,32% nos oito primeiros meses do ano

Myllaynne Lima

Da Reportagem Local

O gás de cozinha teve novo reajuste no mês de setembro. De acordo com a Agência Nacional de Petróleo (ANP), a alta nos valores é para cobrir os custos da revenda e de transporte, causados pela inflação e pelo aumento no salário dos funcionários.

O Jornal O Regional entrou em contato com três revendedoras, duas delas estão vendendo por R$ 100 e uma terceira comercializa a R$ 102 no dinheiro, R$ 103 no débito R$ 105 no crédito.

Segundo a ANP, o valor do produto acumulou aumento de 33,32% nos oito primeiros meses do ano, sem reajuste apenas em maio. Em janeiro o gás era repassado aos consumidores a R$ 73,04; em fevereiro R$ 75,45; março R$ 80,63; abril R$ 81,35; maio R$ 81,35; junho R$ 83,36; julho R$ 88,91 e agosto R$ 90,44.

“A variação decorre da aplicação das fórmulas negociadas nos contratos de fornecimento, que vinculam o preço à cotação do petróleo e à taxa de câmbio. As atualizações dos preços dos contratos são trimestrais. A referência para esses ajustes é a cotação dos meses de abril, maio e junho. Durante esse período, o petróleo teve alta de 13%, seguindo a tendência de alta das commodities globais; e o Real teve valorização de cerca de 4% em relação ao dólar, em consequência, o ajuste será de 7% em R$/m³”, informou a companhia.

O preço final ao consumidor, de acordo com a Petrobras, não é determinado apenas pelo preço de venda da companhia, mas também pelas margens das distribuidoras.