Catanduvenses recebem R$ 16,2 milhões em benefícios assistenciais do governo federal

Maior repasse deste ano foi do BPC, seguido pelo Programa Bolsa Família

Catanduvenses recebem R$ 16,2 milhões em benefícios assistenciais do governo federal

Foto: O REGIONAL - Auxílio Emergencial foi essencial para o sustento de Mário Novelini, pai de dois filhos, que hoje trabalha com doces gourmet

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

Os programas assistenciais do Governo Federal disponibilizaram R$ 16,2 milhões para 4.481 famílias catanduvenses ao longo de 2021. O levantamento foi feito pela reportagem do Jornal O Regional no Portal da Transparência da Controladoria-Geral da União.

De acordo com o relatório, foram repassados R$ 13,1 milhões a 2.117 beneficiários do BPC – Benefício de Prestação Continuada: salário mínimo mensal para a pessoa com deficiência e ao idoso com 65 anos ou mais que comprovem não possuir meios de prover a própria manutenção.

Na sequência, o maior volume foi destinado ao Programa Bolsa Família, no total de R$ 2,5 milhões para atendimento de 2.143 famílias. Somados, os dois programas possibilitaram auxílio financeiro a cerca de 3,8% da população catanduvense.

Os valores são completados por R$ 193,5 mil a 146 beneficiários do Auxílio Emergencial e por R$ 290,6 mil do Seguro Defeso – que permite o pagamento do Seguro-Desemprego ao Pescador Artesanal durante o período de defeso, ou seja, quando fica impedido de pescar em razão da necessidade de preservação das espécies. No total, 75 pessoas conseguiram o auxílio.

No ano passado, o Auxílio Emergencial liderou com folga o ranking de repasses na área social, tendo contemplado 30.603 pessoas com R$ 137,9 milhões em doze meses.

Para o autônomo Mário Augusto Novelini, 41, que atualmente trabalha com doces gourmet, foi graças ao auxílio emergencial que ele conseguiu custear as necessidades básicas, em momento de grande dificuldade financeira. Ele perdeu o emprego de barman no início da pandemia.

“Foi com esse benefício que eu consegui pagar meu aluguel e colocar alimento na mesa. Eu estava trabalhando, veio o decreto e perdi o serviço nos bares. Com o auxílio emergencial, consegui me manter como cidadão, quitar as prioridades e sobreviver”, diz Novelini, morador da Vila Rodrigues e pai de dois meninos.

OUTROS REPASSES

Este ano, Catanduva também recebeu do Governo Federal R$ 34,2 milhões em repasses constitucionais e legais, sendo 100% para a administração pública municipal, e mais R$ 23,4 milhões em transferências específicas e voluntárias: R$ 21,2 milhões para fundos municipais (91%), R$ 1,1 milhão para a Prefeitura (5%) e R$ 945,8 mil para entidades assistenciais (4%).