Catanduva fecha o ano com o menor número de nascimentos na série histórica

Depois de três anos com índices crescentes, 2020 e 2021 registraram redução da natalidade

Catanduva fecha o ano com o menor número de nascimentos na série histórica

Foto: ARQUIVO PESSOAL - Família de Carolina e Diego cresceu durante a pandemia

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 11/01/2022

Os cartórios de Catanduva emitiram 2.155 certidões de nascimento em 2021, o menor número da série histórica do Portal da Transparência do Registro Civil, iniciada em 2015. A tendência de queda já havia sido revelada por reportagem do Jornal O Regional no mês passado.

Pela ferramenta virtual, é possível acessar totais de nascidos no município ano a ano. Em 2015, foram 2.300 registros e, no ano seguinte, 2.239. A partir daí, tem-se aumento gradual nos três anos seguintes: foram 2.361 em 2017, 2.378 em 2018 e 2.442 em 2019.

Depois, o impacto da pandemia do novo coronavírus pode ter sido o causador da queda verificada no ano passado: 2020 terminou com 2.262 nascimentos – redução de 7,37% na comparação com 2019. O resultado de 2021 representa queda de 4,7% com relação a 2020 e 11,7% diante de 2019.

A pequena Alice de Souza Abreu, prestes a completar 3 meses no dia 13 de janeiro, nasceu em meio à pandemia e exigiu cuidados redobrados da mamãe e papai, Carolina Almeida de Souza e Diego Ferreira de Abreu. “Tudo é diferente, não podemos receber visitas no hospital, em casa suspendi visitas e, quando libero alguém pra vir, depois já fico mais uns 10 dias sem receber uma nova pessoa pensando que, se tiver alguma reação, algo, é mais fácil identificar”, confidencia Carolina.

Depois de chegarem a Catanduva em 2019 com intuito de abrir o comércio, o casal deparou-se com a pandemia logo em março do ano seguinte. A gravidez foi descoberta em fevereiro de 2021 e Carolina afastou-se do trabalho como vendedora. “A gravidez foi bem conturbada por não ter sido planejada, pelo afastamento do trabalho que mexe com ansiedade e financeiro.”

Até a rotina de Manuella de Souza Abreu, 7 anos, eleita irmã mais velha, foi alterada: ela não voltou para as aulas presenciais em nenhum momento, como mais uma medida de proteção à bebê. “Tomei todos os cuidados ficando em casa, saindo só em último caso, só para médico, vacinas e mercado. O mais complicado é lidar com ansiedade e medo, incertezas....”, completa.

CASAMENTOS

Também houve recuo do número de matrimônios em Catanduva, em 2020 e 2021, confirmando outro indicador nacional apontado como reflexo da Covid-19. A diminuição chegou a 25,2% entre 2019 e 2020, passando de 752 para 561 celebrações civis de um ano para o outro.

De acordo com os dados do Portal da Transparência do Registro Civil, foram 888 casamentos em 2015, 925 em 2016, 834 em 2017 e 768 em 2018. Já o ano de 2021 terminou com 684 registros e visível recuperação a partir de agosto. O mês com mais casórios foi dezembro, com 87.