Banco do Povo de Catanduva bate recorde de empréstimos com maior volume desde 2001

Foram liberados R$ 2,4 milhões aos empreendedores locais, ao longo do ano passado

Banco do Povo de Catanduva bate recorde de empréstimos com maior volume desde 2001

Foto: DIVULGAÇÂO - O programa de microcrédito possibilita financiamentos a empreendedores formais ou informais, além de cooperativas e associações

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 08/01/2022

A unidade local do Banco do Povo Paulista alcançou novo recorde anual de empréstimos efetivados. De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento, Emprego e Relação de Trabalho (Semdert), foram liberados R$ 2,4 milhões aos empreendedores locais, ao longo de 2021. O montante supera todos os valores já emprestados desde a abertura do posto, em 2001.

Segundo o setor, a liberação financeira tem impacto direto na economia local, “fazendo o dinheiro girar em Catanduva, impulsionando a retomada econômica.”

Em levantamento feito pelo Jornal O Regional, o Banco do Povo havia batido seu recorde em 2019, com a marca de R$ 2 milhões em empréstimos. Antes, o melhor registro histórico era o do ano 2018, quando foi injetado R$ 1,29 milhão na economia local.

Parceria entre o Governo de São Paulo e a Prefeitura de Catanduva, o programa de microcrédito possibilita financiamentos a empreendedores formais ou informais, além de cooperativas e associações. O Banco do Povo fica localizado no Poupatempo de Catanduva.

MAIS RECURSOS

De acordo com a Semdert, no ano passado, além do crédito do Banco do Povo, a administração municipal destinou R$ 1,7 milhão a 300 bolsistas do Programa Emergencial de Desemprego (PED) e R$ 67,5 mil a 25 trabalhadores por meio da Bolsa Trabalho, em parceria com o Estado. O setor ainda coloca na conta cerca de R$ 36 milhões em recursos liberados ao funcionalismo.

“Depois de um ano de muita dedicação e trabalho para superar as dificuldades da pandemia, chegamos ao início de 2022 com perspectivas otimistas para a Catanduva”, avalia o secretário de Desenvolvimento, José Rodrigo Sanches.