Balança Comercial de Catanduva soma superávit de 202,7 milhões de dólares

Com a performance, cidade manteve-se na 49ª posição no ranking de exportadores paulistas

Balança Comercial de Catanduva soma superávit de 202,7 milhões de dólares

Foto: Tânia Rêgo - Principais destinos dos produtos catanduvenses foram China, Itália e Japão

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 30/12/2021

A Balança Comercial de Catanduva fechou o acumulado dos 11 primeiros meses de 2021 com superávit de US$ 202,7 milhões. O resultado leva em consideração a diferença entre as exportações e importações no período e toma como base os dados do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Só com o encaminhamento de produtos locais para o exterior, foram movimentados US$ 210,4 milhões. Entre os itens mais procurados estão os açúcares de cana (47%), extratos e essências de café (26%) e óleo de amendoim (22%). Entre os países parceiros estão a China, Itália, Japão, Argélia, Coreia do Sul, Malásia e Nigéria.

As importações, com a busca de itens do exterior para Catanduva, movimentaram US$ 7,7 milhões. Entre os itens mais procurados estão torneiras e válvulas (23%), bombas para líquidos (14%), máquinas e aparelhos mecânicos (5,9%). Entre os países que mais forneceram produtos para cá, estão Itália, China, Paraguai, Índia, Argentina, Alemanha e Espanha.

Ao longo do ano, as exportações oscilaram bastante. A cidade iniciou janeiro com US$ 7,9 milhões em exportações, seguindo com índices baixos em fevereiro (US$ 8,1 mi), março (US$ 12,5 mi) e abril (US$ 16,5 mi). O mês de maio registrou alta, com US$ 28,5 milhões exportados, o terceiro melhor resultado mensal no ano. Junho fez US$ 23,1 milhões e julho US$ 15,5 milhões.

Agosto fechou com US$ 32,8 milhões exportados, o melhor desempenho mensal, seguido por setembro, com US$ 31,2 milhões. Em outubro, o resultado foi de US$ 24,1 milhões, e novembro apresentou nova queda, com apenas US$ 9,5 milhões comercializados no mercado externo. Já as importações variaram entre US$ 456,4 mil, no mês de abril, e US$ 1,3 milhões em janeiro.

COMPARATIVO

O superávit de US$ 202,7 milhões alcançado de janeiro a novembro de 2021 representa retração de 16,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o município acumulava saldo de US$ 243,2 milhões. A balança comercial ao final de 2020 chegou a US$ 285,3 milhões importados e US$ 9,3 milhões em importações, resultado positivo de quase US$ 276 milhões.

HISTÓRICO

Há 20 anos, em 2001, Catanduva exportou U$ 98,2 milhões, com aumento nos anos seguintes e ligeiras oscilações. Um crescimento significativo foi registrado em 2006, quando a cidade movimentou US$ 227 milhões, com aumento nos dois anos seguintes: US$ 283,8 milhões, em 2007, e US$ 289 milhões, em 2008; e redução em 2009, que fechou em US$ 233,6 milhões.

A partir daí, os melhores resultados aconteceram em 2010, com US$ 384,4 milhões exportados, 2011, com o recorde de US$ 669,3 milhões, e 2012, quando a cidade exportou U$ 417,7 milhões. De lá pra cá, o município fez US$ 243,5 milhões em 2013 e manteve média de U$ 182 milhões anuais até novo ápice em 2020, com o resultado de U$ 285,3 milhões, apesar da pandemia.

49ª EM SP 

Com a performance do mês de novembro, Catanduva manteve-se na 49ª posição no ranking de exportadores paulistas, alcançada dois meses antes. A participação é de 0,4%. Entre os importadores, é o 165º colocado, com apenas 0,01%. No Brasil, é o 207º maior exportador.