Referência do xadrez, Supi é campeão brasileiro absoluto e mira Olimpíada

Jovem catanduvense está entre os melhores jogadores da história do esporte no país

Referência do xadrez, Supi é campeão brasileiro absoluto e mira Olimpíada

Foto: ARQUIVO PESSOAL - Supi conquistou troféu inédito em sua carreira

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 10/11/2021

O enxadrista catanduvense Luis Paulo Supi, 25 anos, Grande Mestre (GM) Internacional de Xadrez, que é a titulação mais alta dada aos jogadores pela Fide, a federação internacional, sagrou-se campeão brasileiro absoluto. O título foi conquistado na 87ª edição do torneio, realizada em Cuiabá-MT, entre os dias 28 de outubro e 5 de novembro.

A competição reuniu 205 jogadores do país, entre eles seis Grandes Mestres dos nove que estão em atuação no Brasil hoje – foram 14 no total, ao longo da história. Supi é um deles, estando hoje ranqueado como o segundo melhor do país e 330º colocado no mundo.

“Nesse Campeonato Brasileiro você tinha praticamente os principais jogadores participando, que foi uma coisa legal, pois desde o início da pandemia a maioria dos torneios de xadrez foi cancelada no Brasil e no mundo, foi um primeiro momento em que conseguiram reunir os principais jogadores e é muito legal que tenha sido no campeonato nacional”, enaltece Supi.

Para garantir o título brasileiro, Supi enfrentou 11 adversários. Foram sete vitórias e quatro empates, alcançando 9 pontos. No último dia, três jogadores venceram a última partida e terminaram exatamente com a mesma pontuação: além de Supi, o GM Alexandr Fier e o GM Darcy Lima. Nos critérios de desempate, Supi superou ambos e faturou o troféu.

“É a 87ª edição do torneio, que está sendo registrado em livros, revistas e jornais desde a primeira edição. É um torneio que a comunidade do xadrez sempre teve muito carinho, de registrar quem são os vencedores, as pessoas se esforçam em não deixar apagar os nomes dos campeões de cada época. Então é muito legal agora fazer parte dessa lista”, celebra.

Foi o primeiro brasileiro absoluto de Supi, que já tinha conquistado títulos brasileiros em categorias específicas. “O absoluto é um campeonato muito diferente, a lista de nomes é restrita, eu já havia passado perto e agora encaixou. É um título de grande prestígio.”

Segundo o enxadrista, além de ser o primeiro torneio nacional presencial nessa fase de retomada do esporte, o Brasileiro deste ano causou grande expectativa por garantir três vagas para a Olimpíada de Xadrez da Rússia, em 2022. Tradicionalmente, os atletas olímpicos são convocados, sendo escolhidos os melhores jogadores do ranking – foi dessa forma que Supi participou da Olimpíada de 2018. A mudança de critério foi motivada pela pandemia.

“Estava todo mundo muito interessado porque era a primeira vez que um jogador que está um pouco mais abaixo da tabela teria a chance de entrar para a equipe. Geralmente um jogador que é top 30 ou 40 do Brasil não tem nenhuma chance de estar na equipe olímpica, que é composta por apenas cinco jogadores. Desta vez, todo mundo pôde lutar pelas vagas”, pontua.

Com o título nacional, Supi automaticamente garantiu sua vaga para a Rússia. “É o evento que todo jogador de xadrez sonha em participar e quem participa realmente sente que é uma coisa diferente. Desta vez, pelo menos da minha parte, tinha uma coisa a mais porque vai acontecer na Rússia, que sempre foi o centro do xadrez, e nunca participei de nenhum evento na Rússia”.

A Olimpíada de Xadrez, o principal evento da modalidade no mundo, são separadas dos demais esportes e é uma competição realizada por equipes, com cinco jogadores de cada país.

TRAJETÓRIA

Nascido em Catanduva, Supi começou a praticar xadrez entre os 4 e 5 anos, tendo conquistado sua primeira norma de GM no Floripa Chess Open 2016, quando terminou na 4ª colocação. A segunda norma veio no Pan-Americano sub-20 2016, na Colômbia. Na ocasião, Supi fez oito pontos em nove rodadas e faturou o título. Ele foi premiado com o título de mestre FIDE em 2013, detendo o título de Mestre Internacional de Xadrez pela Fide no mesmo ano.

Em 2018, recebeu o título de Grande Mestre e representou o Brasil na Olimpíada de Xadrez, realizada em Batumi, Geórgia. Em dezembro, em Rio Branco, Supi venceu o Magistral Acre 2017 e conquistou sua terceira e última norma de GM.

Em maio de 2020, derrotou o atual campeão mundial Magnus Carlsen em 18 jogadas em um jogo de blitz online. Os lances foram filmados e divulgados pelo próprio Carlsen, o que lhe rendeu fama internacional quase que instantânea. Dias depois, o brasileiro confirmou a boa fase ao bater outro jogador “Top 5”, o russo Ian Nepomniachtchi, então quarto melhor do mundo.