Bax Catanduva perde para Araraquara no último compromisso antes das quartas-de-final

Equipe araraquarense venceu por 89 a 65 e garantiu vantagem na próxima etapa

Bax Catanduva perde para Araraquara no último compromisso antes das quartas-de-final

Foto: DIVULGAÇÃO - Jogo foi realizado na noite de quarta-feira, dia 3, no ginásio do Conjunto Esportivo

Da Reportagem Local
Publicado em 05/11/2021

Em um jogo equilibrado até o terceiro quarto, o Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva não conseguiu superar o Sesi Araraquara pela última partida da fase de classificação do Campeonato Paulista de Basquete Feminino 2021.

A equipe araraquarense venceu por 89 a 65 e garantiu vantagem na próxima etapa. O jogo foi realizado na noite de quarta-feira, dia 3, no ginásio do Conjunto Esportivo Anuar Pachá.

O calendário oficial dos jogos ainda não foi divulgado pela Federação Paulista de Basquete (FPB). Porém, já se sabe que os dois times voltam a se enfrentar pelas quartas-de-final, na busca por uma vaga na semifinal do estadual.

A pivô Aline Moura, de Araraquara, foi o destaque do duelo, com um duplo-duplo: 33 pontos e 14 rebotes. A maior pontuadora catanduvense foi a armadora Larissa Carneiro, com 14 pontos.

Com o resultado da partida de ontem, a classificação do Grupo B ficou assim: Sesi Araraquara = 8 Pontos (4 jogos); Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva = 6 Pontos (4 jogos); Pró-Esporte/Sorocaba = 4 Pontos (4 jogos). As equipes do Ituano Basquete e Basketball Santo André/Apaba estão garantidas nas semifinais da competição.

Depois da derrota, comissão técnica e atletas se dirigiram ao vestiário para uma reunião. Na manhã de ontem, dia 4, a armadora e presidente do Bax Catanduva, Natália Burian, afirmou que ser derrotado nunca é bom, porém, a equipe perdeu quando podia.

“Vamos enfrentar Araraquara nas quartas-de-final. São três derrotas para elas (jogadoras araraquarenses) e precisamos encontrar uma maneira de pará-las. Nosso técnico Cesamar (Fernandes) está pensando em uma forma de surpreendê-las”, afirma.

Segundo a dirigente, o time não pode se abater e nem chorar. O momento é de treinar forte e de união. “Sou sempre muito confiante porque sei o quanto as meninas se dedicam. Temos condições de fazer bons jogos e trazer essa classificação inédita para a semifinal.”