Bax Catanduva estreia com vitória no Campeonato Paulista de Basquete Feminino

Um dos destaques da partida foi a armadora Natália Burian

Bax Catanduva estreia com vitória no Campeonato Paulista de Basquete Feminino

Foto: Bax Catanduva - Partida entre o Bax Catanduva e Vera Cruz Campinas foi teste para cardíaco

Da Reportagem Local

O cronômetro marcava pouco mais de três segundos para o final da partida. O placar: 70 a 70. Falta para o Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva. Dois lances livres que poderiam definir o jogo contra o Vera Cruz Campinas. A ala-armadora Larissa, no alto de seus 1,62m, vai para a linha de arremesso. A bola do jogo estava em suas mãos. O que será que passa na cabeça?

“Uma emoção muito grande. Eu tentei me concentrar para converter os dois lances, mas acabei desperdiçando o primeiro. A tensão aumentou, porque a responsabilidade do último ponto caiu nas minhas mãos. E eu foquei ainda mais. Graças a Deus, acertei o segundo lance”, confidenciou a jogadora ao final do jogo.

Após os dois lances, a bola era do time campineiro. Em uma ação rápida, a equipe poderia acertar uma bola de dois ou três pontos e virar, mas a defesa catanduvense foi mais forte. Apito final e vitória do time da casa.

Como dizem por aí, a partida entre Tietê Agroindustrial/Bax Catanduva e Vera Cruz Campinas, sábado, dia 4, no Ginásio Municipal Anuar Pachá, carinhosamente conhecido como ‘Caldeirão da Bruxinha’, na estreia do Campeonato Paulista de Basquete Feminino, foi teste para cardíaco.

“A vitória é resultado do trabalho coletivo. Todas as atletas deram a sua contribuição. Com as perdas que sofremos para o Paulista, o time sentiu bastante. Porém, nós conversamos e nos fechamos. E vamos nos juntar cada vez mais, doar sempre um pouco mais e nos divertirmos. Isso que o Cesamar sempre nos passou. Se Deus quiser, mais vitórias virão”, destaca Larissa.

Além da ala-armadora, um dos principais destaques da partida foi à armadora e presidente do Bax Catanduva, Natália Burian: 17 pontos, 14 assistências, 8 rebotes e 29 eficiência.

Para o técnico Cesamar Fernandes, o resultado não foi uma surpresa, uma vez que suas atletas têm potencial e podem fazer muita diferença dentro de quadra. “Sabemos que o adversário é um time forte e que se reforçou para ser campeã. É bicampeã paulista, ficou entre as quatro melhores da Liga (LBF 2021). Desde que retornamos com o projeto, nós nunca havíamos ganhado deles. Sempre perdíamos por um placar com diferença de 20 pontos.”

O começo do jogo não agradou o técnico, que viu sua equipe acanhada e com medo, deixando as adversárias jogarem forte e dominarem a partida. Porém, de acordo com ele, dois fatores foram decisivos para um placar diferente: o poder de reação e a ajuda que veio do banco.

“Nós tivemos esse poder de reação, de encostar e virar o jogo. No Brasileiro, fizemos partidas parecidas: saímos atrás, encostamos, mas não conseguimos virar. Hoje (sábado), foi diferente: saímos atrás no placar, viramos o jogo, deixamos que passassem à frente e conseguimos recuperar. Isso traz mentalidade de equipe vencedora”, afirma.

A equipe segue em ritmo intenso de treino para a próxima partida, que acontece sábado, dia 11 de setembro, às 18 horas, contra o Pró-Esporte/Sorocaba, na casa do adversário.