MEIs representam 90% dos novos negócios ligados à moda criados na pandemia

Abrir um negócio nesse segmento foi a opção de cerca de meio milhão de brasileiros

MEIs representam 90% dos novos negócios ligados à moda criados na pandemia

FOTO: DIVULGAÇÃO - Atividade que conta com maior número de pequenos negócios é o comércio varejista do vestuário e acessórios

Da Reportagem Local
Publicado em 17/11/2021

Mesmo com a pandemia do coronavírus, os empreendimentos ligados à moda continuaram apresentando crescimento. De acordo com levantamento feito pelo SEBRAE, com base em dados da Receita Federal, nos dois primeiros semestres de 2020 e 2021 quase meio milhão de brasileiros resolveram empreender nesse segmento.

O resultado representa um aumento de 16,5% se comparado com o mesmo período de 2018 e 2019. A pesquisa revela ainda que cerca de 90% desses empreendimentos são compostos por microempreendedores individuais (MEI), totalizando 440,9 mil negócios formalizados.

Entre as atividades levantadas pelo SEBRAE, a que conta com maior número de pequenos negócios é o comércio varejista do vestuário e acessórios, que engloba mais de 78% dos negócios da moda, com 390,6 mil microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas. Logo em seguida, estão os negócios que comercializam tecidos e roupas de cama, mesa e banho, com 57,5 mil empresas abertas nos dois primeiros semestres de 2020 e 2021.

“Mesmo com a mudança de hábitos dos consumidores e com as dificuldades encontradas desde o início da pandemia, o mercado da moda continua aquecido no Brasil e muitos empreendedores têm escolhido esse nicho para abrir um negócio”, destaca o presidente do SEBRAE, Carlos Melles.