Escola do Eldorado ganha sala de informática com computadores doados pela comunidade

Professores abraçaram a ideia e estão utilizando a nova ferramenta a favor da educação

Escola do Eldorado ganha sala de informática com computadores doados pela comunidade

Foto: O REGIONAL - Crianças de 1 ano a 5 anos participam das aulas de informática

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 07/11/2021

Depois do longo pátio com desenhos coloridos pelo chão, em que a tradicional “amarelinha” chama a atenção, um antigo depósito da escola municipal Prof. Carlos Alberto Spina, no Jardim Eldorado, foi transformado em sala de informática. O projeto foi concretizado a partir de doações de computadores pela comunidade e do envolvimento direto dos educadores da unidade.

De acordo com o diretor Pedro Fernandes da Silva Neto, responsável pela gestão da unidade há 2 anos, a iniciativa compõe trabalho voltado ao fortalecimento da identidade do colégio junto da comunidade. “A escola não era muito visada, não muito querida, então a partir disso a gente trouxe a ideia de trabalhar uma escola de projetos. De prontidão os professores aderiram e a gente consultou a comunidade para ver quais os projetos que poderiam interessar mais”, conta.

Entre eles, destacou-se o projeto de informática. E, na sequência, começou a campanha para doação de computadores. “A gente conseguiu constituir esta sala a partir de doações dos catanduvenses, com apoio da Secretaria de Educação, mas principalmente através da figura do professor Fábio, que se dispôs a revitalizar as máquinas, para elas ficarem úteis para as crianças”.

O docente Fábio Luiz Colombo, citado pelo gestor, atua na escola desde agosto de 2019. Ele entregou-se por completo ao projeto e tem, hoje, seu nome estampado na porta da sala em reconhecimento. “O pessoal da escola se engajou, fomos conseguindo doações de CPUs, então nas férias juntei tudo, fiz manutenção, limpeza, e trouxemos as máquinas aos poucos”, relata.

Com a retomada das aulas presenciais, em agosto, todas as máquinas foram instaladas em rede. A escola também ganhou internet sem fio em todas as dependências. “Essa rede wifi é iniciativa dos professores, que compraram os roteadores e dividiram os custos de instalação. A internet usada na escola e na sala de informática é de recursos próprios”, ressalta Fábio.

Segundo o educador, as nove máquinas em uso no local são um pouco antigas, mas atendem ao propósito de ensino às crianças de 1 ano a 5 anos de idade. “O objetivo da nossa sala foi atingido: dar acesso à informática a essas crianças do bairro. São nove computadores ligados à internet em uma sala com ar condicionado para melhor conforto dos nossos alunos”.

ENVOLVIMENTO

Operando há dois meses, a sala de informática tem sido abraçada por todos os professores da escola, que estão utilizando a nova ferramenta na rotina da escola, que tem hoje 160 alunos em 14 turmas. O trabalho é conduzido por uma equipe de 28 educadores.

Conforme o diretor Pedro, cada um deles adequa o uso da informática à sua linha de trabalho e à faixa etária dos alunos, a começar do berçário. “Um professor que está mais ligado à alfabetização consegue utilizar essa ferramenta para esse desenvolvimento específico da criança. Outros utilizam jogos de arrastar, para que a criança ligue números, cores e formas”, exemplifica.

“Em nossa aula de informática, trabalhamos a coordenação motora fina, raciocínio lógico, estimulamos a criança a fazer o labirinto da formiguinha, quebra-cabeças, jogos da memória, são jogos que podemos fazer na mão, mas que temos agora a versão digital com mais possibilidades de aprendizagem e oportunidades para a criança crescer globalmente, tornar-se digital”, frisa Fabio. “Utilizar essas ferramentas para todos os campos da educação é tão possível que a gente está colocando em prática aqui”, completa o diretor.

Com o sucesso do projeto e os resultados verificados nos alunos, os dois educadores já planejam expandir o trabalho. “Temos projeto de expandir essa sala, colocar mais máquinas. Um computador por aluno é nosso objetivo. E nós vamos conseguir. Quem tiver alguma coisa para doar, será muito bem-vindo. Nosso projeto de informática só tem a crescer.”

ESCOLA DE PROJETOS

Além da sala de informática, outros nove projetos foram apresentados a pais e mães dos alunos da escola Spina. Muitos deles já foram colocados em prática. “A gente queria uma abordagem ampla, que pudesse abarcar todas as possibilidades que a Educação Infantil nos traz. Eu já vinha com esse pensamento de trabalhar projetos porque considero este o momento mais oportuno para desenvolver essas possibilidades, porque as crianças têm aceitação muito fácil”, diz Pedro.

No projeto de Alimentação Saudável, além da abordagem do tema com os alunos, a comunidade será envolvida de forma direta. Produtores da agricultura familiar e feirantes vão para dentro da escola e as crianças vão aprender a cuidar da horta e também visitar feiras e mercearias, para entender o fluxo da produção do alimento – da produção inicial até a mesa de suas casas.

Outra ação está ligada à Inteligência Emocional, criado com foco no momento da pandemia. “A ideia é criar autonomia emocional dentro da criança diante de todas as dificuldades que ela pode encontrar no mundo, dentro do seu processo de evolução emocional, para que ela possa ter subsídio suficiente para encontrar todas essas saídas e lidar com o não, com as dificuldades”, diz o professor, citando ainda projetos esportivos, de teatro e um jornal comunitário online.