Barão do Rio Branco realiza Feira Cultural do Centro de Estudo de Línguas

CEL oferece aulas gratuitas de inglês, francês, italiano, espanhol e mandarim

Barão do Rio Branco realiza Feira Cultural do Centro de Estudo de Línguas

Foto: DIVULGAÇÃO - Evento deste ano foi restrito à comunidade escolar do CEL e aos familiares

Da Reportagem Local
Publicado em 20/10/2021

A Escola Estadual Barão do Rio Branco, de Catanduva, realizou no início deste mês a 6ª edição da Feira Cultural do Centro de Estudo de Línguas (CEL). Devido ao atual contexto pandêmico, o evento foi restrito à comunidade escolar e aos familiares dos estudantes.

O CEL oferece aulas gratuitas de inglês, francês, italiano, espanhol e mandarim aos estudantes da rede pública estadual de ensino, a partir do 7º ano do Ensino Fundamental.

“No evento os visitantes puderam conferir o desenvolvimento da competência intercultural e o protagonismo dos alunos em espanhol, italiano, francês, inglês e mandarim”, destaca Regiceli Bento Almeida, professora coordenadora do Centro de Línguas.

Na língua espanhola foram apresentadas as festas La Tomatina, que acontece na cidade de Buñol, da província de Valência, Las Fallas, da cidade de Valência, San Fermín, na cidade de Pamplona, da província de Navarra, e a festa de La mercê de Barcelona.

Também foram registradas as tradicionais lendas espanholas La Niña de Las Peras, La Tragedia de La Bella e La Silla Del Diablo. E, ainda, houve a apresentação de um teatro ao ar livre com a temática da Guerra Civil Espanhola e a queda do franquismo e a apresentação dos ritmos latinos: Salsa, Pop Latino, Reggaetón, Tango, Bachata e Cumbia.

Em Italiano, os estudantes apresentaram o septingentésimo de Dante Alighieri e partes da obra Divina Comédia.

Em Francês, eles retrataram a narrativa oral e como surgiu o clássico A Bela e a Fera. Uma aluna tocou violino enquanto outro estudante explanou sobre a obra. Na língua inglesa, foi abordado o filme Cruella, ambientado em Londres, nos anos 70.

Em Mandarim, os estudantes apresentaram o horóscopo chinês, baseado na Astrologia Oriental da China, a origem da técnica milenar do origami e oficina de origami.

“A escola efetivamente se constitui como um espaço de aprendizagem e de ampliação das possibilidades, tornando os estudantes protagonistas e conscientes da importância em aprender um novo idioma”, enfatiza a dirigente Regional de Ensino, professora Luciana Bianchin Lopes Pereira.