“Fui me reinventando dentro da minha casa", diz Denise Cursino

Das redes sociais veio inspiração para a colunista conquistar novos caminhos profissionais

“Fui me reinventando dentro da minha casa", diz Denise Cursino

Foto: DIVULGAÇÃO - Em nova fase, colunista Denise Cursino entrevista Liliana Fachini

Guilherme Gandini
Editor-Chefe
Publicado em 03/10/2021

Quando as festas foram suspensas e todos os compromissos públicos tiveram que ser adiados no início da pandemia, a colunista social Denise Cursino, 64, começou a lidar com a sensação de vazio. Sentia-se perdida dentro da sua própria casa. Aventurou-se num curso de Reike, fez meditação, aprendeu a ver filmes na Netflix, algo que nunca tinha tido tempo para fazer.

“Fui me reinventando dentro da minha casa, porque nem aqueles amigos de verdade a gente tinha, que saíamos, ficamos abandonados. Nesse período, comecei a me sentir muito vazia, sem nada para fazer, passei a me sentir muito mal”, confidencia.

Servidora pública municipal, Denise começou no colunismo social em 1981, em O Regional. Foi colaborada do Diário Popular de São Paulo, Jornais de Bairros-SP e Diário da Região. Em Catanduva, editou a revista Entre Aspas e atuou pelo Jornal Opinião, TV Opinião, O Jornal e nas revistas Multi, Viva e Maxxis, além das atuais Top e Ala Vip, de São José do Rio Preto.

Em casa e com tempo extra, Denise lançou-se no Instagram – como diz, bem ao seu jeito, com frases de efeito. “Toda frase que eu coloco é porque me faz pensar, serve para mim, serve para um monte de gente. Sou uma mulher de frases, não de fases. Você pensa, repensa e acho que isso é importante para as pessoas”, relata.

Sua presença no Instagram, de um jeito ou outro, agradou ao público e os números começaram a subir. “É tudo orgânico, não tenho nada comprado, é tudo gente que foi curtindo”, celebra Denise, que já contabiliza 14,7 mil seguidores na plataforma. “Posto um vídeo e dali uma hora tem mais de mil visualizações, então isso acabou gerando negócio, uma ferramenta comercial.”

Não satisfeita, ela aproveitou o momento para iniciar um projeto de entrevistas. Era hora de se reinventar. “Sempre tive vontade de fazer entrevistas, mas me irritava com meu sotaque, minha forma de falar. Passando a ver mais televisão, notei que todo mundo fala do seu jeito, até de forma errada, então passei a buscar onde eu poderia fazer isso. Precisava fazer alguma coisa.”

A parceria veio com Ernesto Barbério, que tem mais de 30 anos de experiência em produção de mídia. A ideia teve apoio dos filhos e da jornalista e amiga Fernanda Albano. “Começamos bancando as entrevistas, virei Youtuber e já tenho novos projetos que vão surgir”, resume Denise, que aposta em entrevistas biográficas que possam servir de exemplo, motivar e fazer diferença na vida das pessoas.