< Back

População em idade escolar diminui 28,3% em duas décadas em Catanduva

Decréscimo reflete a tendência de queda do número de nascimentos

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: Astakhova/iStock - População se tornou mais adulta com a redução do número de nascimentos

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

A população em idade escolar diminuiu 28,3% em Catanduva, entre os anos 2000 e 2021, de acordo com a projeção elaborada pela Fundação Seade. Também houve redução na participação desse público de crianças e adolescentes com relação ao total de habitantes do município, baixando de 23,5% para 15,2% em duas décadas.

Segundo os dados, Catanduva contabilizava 24.894 moradores de 4 a 17 anos, no ano 2000, para uma população total estimada em 105.695 habitantes. A participação do grupo no todo era de 23,5%. Já em 2021, os números são estimados em 17.845 crianças e adolescentes dentro de um universo de 117.414 pessoas – participação de 15,2%.

Tal decréscimo, na avaliação do Seade, reflete a tendência de queda do número de nascimentos vista no Estado de São Paulo que, depois da trajetória crescente até atingir o maior valor histórico (771 mil) em 1982, oscilou até 1998 e diminuiu quase continuamente a partir de então, chegando a 550 mil no ano de 2020.

No Estado, a população em idade escolar para 2021 soma 7,86 milhões de crianças e adolescentes entre 4 e 17 anos, representando 17,5% do total. Houve redução em 1,47 milhão desde 2000, quando correspondia a 9,33 milhões e concentrava 25,3% da população.

“A população paulista se tornou mais adulta com a redução do número de nascimentos nesses 21 anos. Em 2000, a idade média da população residente no estado era de 30 anos, passando para 36,5 anos, em 2021”, avalia a instituição.

Entre 2000 e 2021, houve queda da participação do contingente em idade escolar em relação à população total em todos os municípios paulistas. Em 2000, mais da metade deles apresentavam proporções superiores a 26% e nenhum registrava valor inferior a 18%. Em 2021, 51% apresentam concentrações entre 15% e 18% e nenhum supera 23%.

“A distribuição regional da população em idade escolar se manteve no período estudado, com as maiores concentrações no sul e sudeste do estado e as menores no noroeste”, completa o Seade.