< Back

Moradores denunciam indústria por emissão de pó amarelo durante a noite

Emissão da fuligem ocorre principalmente durante a madrugada

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: O REGIONAL - Poeira amarela cobre veículos e móveis na Vila Engrácia, no entorno da fábrica


Guilherme Gandini
Editor-Chefe

Moradores da Vila Engrácia lutam diariamente contra a poeira causada por uma indústria existente no local. Conforme a denúncia apurada pelo Jornal O Regional, a emissão da fuligem ocorre principalmente durante a madrugada, formando um pó amarelo que, segundo eles, é bastante característico.

“É muito pó, um pó amarelo que deixa a gente doente. Ataca a rinite, as crianças têm asma aqui na rua, a sujeira que a gente não vence lavar. A gente lava e no outro dia parece que nem lavou nada. Até dentro de casa, com tudo fechado, você vai passar o pano e ele sai amarelo”, lamenta uma das moradoras, Elisabete Conceição Grandisoli.

As promessas de melhorias já teriam sido feitas em várias oportunidades, mas poucas melhorias foram sentidas no dia a dia. “Eles falam que estão instalando filtro, que estão melhorando, fazendo isso ou aquilo, mas a gente não acredita mais.”

A dona de casa, que reside no local há quase 40 anos, ainda reclama do gasto com água e produtos de limpeza. “É um pó que você joga água e ele não sai, é gorduroso, então sempre gastamos outro produto. Pede-se tanto para economizar água, mas não tem como, porque não limpa com pano, é muita gordura”, afirma.

Procurada pela reportagem, a empresa Brumau, que atua no comércio de Óleos Vegetais e é líder em todos os segmentos do amendoim, preferiu não se manifestar. Os pedidos foram feitos de forma presencial na empresa e também via e-mail.

A Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, responsável pela fiscalização, também foi procurada por e-mail para sua unidade em São José do Rio Preto, que direcionou o pedido à Assessoria de Imprensa em São Paulo. Não houve resposta.