< Back

Inadimplência atinge 15,9% dos produtores rurais dos principais estados voltados ao agronegócio

A incidência é menor do que a da população adulta, que chega a 37,7%

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: DIVULGAÇÃO - Há queda significativa da inadimplência entre os produtores rurais com ganhos acima de R$ 10 mil

Da Reportagem Local

Dados coletados pela Serasa Experian em junho mostram que 15,9% das pessoas estão com contas em atraso nos estados com grande produção agrícola no Brasil: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Tocantins.

Considerando os dados gerais, a incidência é bem menor do que a da população adulta nestas regiões, que chega a 37,7% - a exceção é o Tocantins, único cuja inadimplência dos produtores rurais fica pouco acima da dos demais moradores do local.

Uma exceção é o Tocantins, cujo alto índice de inadimplência do produtor rural se assemelha ao da população em geral. O levantamento indica que isso ocorre porque 64,4% dos trabalhadores do campo do local têm renda mensal de até R$ 2 mil.

Outros resultados mostram que o Paraná reúne o menor percentual de produtores rurais com renda mensal de até R$ 2 mil (25,5%). Na sequência estão Santa Catarina (29,3%), Mato Grosso do Sul (31,8%), Mato Grosso (32%), Goiás (33,3%) e Rio Grande do Sul (51,2%).

Na análise por renda, há queda significativa da inadimplência entre os produtores rurais com ganhos acima de R$ 10 mil, enquanto a maior taxa está na faixa de R$ 2 mil a R$ 4 mil.

A situação se refletem no score da maioria desses produtores, que oscila entre 600 e 700 pontos em todos os estados analisados – exceto Tocantins, onde 72% ficam abaixo dos 600 pontos.

O estudo inédito também avalia a inadimplência dos produtores rurais por faixa etária. O estudo mostra que, a partir dos 41 anos, há redução até chegar aos produtores rurais com mais de 60 anos, que são os que menos deixam de honrar seus compromissos financeiros (14,1%). Os que mais devem são aqueles na faixa entre 31 a 40 anos (20,7%).