< Back

Idoso depõe e nega ter jogado ácido em ex-funcionária

Um inquérito foi aberto na delegacia de Catanduva para apurar a denúncia

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: Reprodução vídeo - Vítima ficou com queimaduras no corpo

Da Reportagem Local

Acompanhado do advogado, o idoso, de 70 anos, acusado de jogar ácido muriático no rosto da faxineira Francieli Priscila Correa Froelich, 31, prestou depoimento nesta quarta-feira, 21, na delegacia de Catanduva. Ele negou ter atacado a ex-funcionária e alegou que também apanhou dela. Após ser ouvido, foi liberado.

A Polícia Civil de Catanduva abriu inquérito para apurar a denúncia feita pelo marido da jovem. Segundo o boletim de ocorrência, o atentado ocorreu na tarde da última segunda-feira, 19, na Vila Santo Antônio.

Vídeo gravado por uma testemunha, que viralizou nas redes sociais, mostra o momento em que o homem sai de uma residência, com um pedaço de madeira nas mãos e joga o líquido de uma garrafa em direção da vítima. Em seguida, ele a empurra para o meio da rua.

Francieli trabalhava para o acusado, que fabrica e vende produtos de limpeza, há quatro anos. Além da faxina, ela também cozinhava.

De acordo com a vítima, na semana retrasada tropeçou em um balde com produto que estava sendo preparado pelo idoso para ser comercializado. O homem não gostou e teria ficado nervoso. Francieli afirma que foi embora para sua casa e não apareceu para trabalhar por uma semana, porque teria ficado doente.

A faxineira diz que ligou no domingo para avisar que não prestaria mais serviço para ele e que ambos trocaram ofensas ao telefone. Na segunda-feira, a jovem ligou para o idoso buscar uma cama que tinha comprado e foi insultada.

Conforme a denunciante, o ex-patrão teria dito que iria estuprar seu filho e jogar o corpo no mato. Diante da ameaça, ela foi até a casa do acusado tirar satisfação, houve discussão e a agressão. Além do ácido, a jovem levou uma paulada na cabeça e entrou em luta corporal com o suspeito.

Francieli afirma que sentiu uma dor insuportável ao ser atingida pelo ácido, que é usado para limpar pisos e remover restos de cimento.

A faxineira foi socorrida até o posto de saúde, onde teve parte do produto retirado por funcionárias da UBS, e transferida para o Hospital Padre Albino com queimaduras no corpo.

O caso segue sendo investigado como lesão corporal e ameaça.