< Back

Homem desmaia em fila de espera no Mercantil do Brasil

Vários outros clientes reclamam constantemente da demora

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: O REGIONAL - Fila contornou esquina da rua Pará na manhã de ontem

Da Reportagem Local

Assim como tem sido denunciado pelo Sindicato dos Bancários há tempos, as aglomerações na porta do Banco Mercantil do Brasil em Catanduva se repetiram ontem, dia 8. A agência, que fica localizada na Rua Pernambuco, ficou movimentada, sobretudo por pessoas idosas, que foram em busca de saques de benefícios da aposentadoria, além de outros serviços. 

Com o forte calor, e após esperar por mais de 5 horas na fila organizada na calçada da agência, um homem desmaiou.

“Infelizmente, essa é mais uma cena de desumanidade e desrespeito do banco com clientes e usuários. É revoltante! No contexto da pandemia da Covid-19, estas filas se tornaram ainda maiores e perigosas: não há distanciamento correto entre as pessoas, favorecendo a disseminação do vírus entre clientes e trabalhadores que atendem presencialmente”, denuncia o presidente do Sindicato, Roberto Vicentim.

Não foi um caso isolado. Vários outros clientes reclamam constantemente da demora. Na avaliação do sindicalista, a situação é resultado da defasagem no quadro de funcionários e das medidas de precarização das condições de trabalho dos bancários. “Com demissões em massa e sem contratações, o atendimento fica precarizado e quem sofre as consequências é a população”, diz.

A área de atendimento foi reduzida e as cadeiras para espera retiradas. A porta giratória, colocada na entrada da unidade bancária, antecedendo o autoatendimento, também dificulta o acesso ao interior da agência.

“As filas, mesmo fora das agências, são responsabilidade dos bancos. Apelamos para a fiscalização municipal, temos denunciado e estamos também em contato com o Mercantil, cobrando condições adequadas para atendimento. O banco precisa tomar medidas urgentes para acabar com esse sofrimento generalizado”, ressalta Vicentim.