< Back

Especialista dá dicas para evitar roubo de dados e minimizar danos em caso de golpe

Comportamentos simples podem evitar que sua conta seja esvaziada

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: Divulgação - Especialista em TI orientar ligar imediatamente para operadoras financeiras em caso de golpe

Da Reportagem Local

O comportamento dos brasileiros é cada vez mais digital e isso se estende ao uso de apps voltados a soluções bancárias e financeiras nos smartphones. Mas essa revolução traz novas preocupações, principalmente com golpes e segurança. E o efeito colateral pode doer no bolso, e muito.

Geralmente, os criminosos aproveitam das informações que estão no seu smartphone, como e-mails, SMS, fotos e até os famosos prints, que contêm detalhes da sua vida financeira.

Para evitar cair nessa armadilha e não ter dor de cabeça (e no bolso), o especialista em TI no mercado financeiro, Aloísio Corrêa, diretor superintendente da Galgo S.A, que presta soluções tecnológicas em dados e segurança a instituições financeiras de ponta como Inter e Nubank, dá valiosas dicas, que podem ser mais simples do que parecem, mas evitam um problemão.

“Pode parecer óbvio, mas não crie senhas com sequências numéricas previsíveis. Certamente, você vai estar na preferência dos criminosos e muito mais vulnerável. Muita gente ainda coloca 1,2,3,4,5,6. Não faça isso. Misture o máximo de números, letras e caracteres não previsíveis. Data de nascimento... Nem pensar! Com as informações sobre sua vida, geralmente fáceis de achar, entrar com esta senha será um deleite para os criminosos”, orienta Corrêa.

Outra medida importante é fazer autenticação dupla, opção já disponível em boa parte dos apps e smartphones. “Sabe aquele print do número do cartão para facilitar a vida? Não mande para ninguém, aliás nem guarde para você na galeria de fotos”, alerta o especialista.

Se o seu celular foi roubado, ligue diretamente primeiro para as operadoras financeiras as quais você tem apps no seu smartphone, e troque também as senhas de outros aplicativos que podem ter informações pessoais, como e-mail e slack por exemplo.

“O ambiente digital é uma realidade e teremos que conviver com ele. Portanto, se tomar ao menos as medidas acima, provavelmente você não entrará na estatística das vítimas”.

INSEGUROS

Pesquisa encomendada pela Mastercard ao Instituto Datafolha revelou que, apesar de 92% dos brasileiros saberem que as empresas com as quais interagem guardam algum tipo de informação sobre seus hábitos de consumo e lazer, eles temem pela segurança de seus dados no ambiente digital.

Em uma escala de 1 a 10, em que 10 é muito seguro, 5,1 é a nota média dada para o quanto os entrevistados consideram que suas informações estão seguras na internet.