< Back

Emprego formal aumenta no mês de julho no Estado de São Paulo

Foram geradas 105 mil ocupações; houve crescimento em todas as regiões

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: EBC - Pelo terceiro mês consecutivo, há pequena elevação do emprego formal

Da Reportagem Local

De acordo com o Seade, com base no Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), no Estado de São Paulo, em julho, pelo terceiro mês consecutivo, houve pequena elevação do emprego formal em relação ao mês anterior, com variação similar à registrada para o país (0,8%).

O acréscimo de 105 mil empregos decorreu do fato de as admissões (543 mil) superarem os desligamentos (438 mil), aumentando para 12,8 milhões o contingente de empregados no Estado.

No acumulado de janeiro a julho, foram criados 594 mil empregos (4,9%), com o estado de São Paulo respondendo por 32% do total gerado no país (1,8 milhão). Destaque-se que 77% dos novos empregos paulistas correspondiam a contratos celetistas por tempo indeterminado, enquanto 23% agregavam outras formas de contratação.

No desempenho por setor, registrou-se pequena variação positiva do emprego nos serviços (45 mil) e na agricultura, pecuária e pesca (14 mil) e relativa estabilidade na indústria (15 mil), no comércio (24 mil) e na construção (7 mil).

Em julho, o emprego variou positivamente em todas as regiões paulistas. Em relação ao mesmo período de 2020, os resultados mais expressivos foram verificados na capital (358 mil), nos demais municípios da RMSP (175 mil) e nas regiões de Campinas (150 mil) e Sorocaba (48 mil). Somadas, estas regiões responderam por 78% do emprego gerado no Estado.