< Back

Coliseu Studium promove 8ª edição do 'Nhoque da Fortuna' com retirada em drive-thru

Combo está sendo vendido a R$ 80 e serve até quatro pessoas

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: Divulgação - Além de comer nhoque no dia 29, ritual manda primeiro colocar dinheiro sob o prato

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

Como muitas outras tradições envolvendo gastronomia, o 'Nhoque da Fortuna' tem origem na Itália. Reza a lenda que, em uma noite de 29 de dezembro, São Pantaleão, um santo católico vivido no século IV, perambulou maltrapilho por um vilarejo da Itália. Com muita fome, ele bateu à porta da casa de uma família numerosa e com pouca comida na mesa. Apesar disso, o patriarca dessa família fez questão de dividir o jantar – um nhoque – com o desconhecido.

Para dividir com São Pantaleão a pouca quantidade que tinham, a família teve de se contentar com sete pedacinhos de massa para cada um. Após comer e agradecer a acolhida, São Pantaleão se foi. Quando foi tirar a mesa, o patriarca descobriu que havia um monte de dinheiro embaixo dos pratos. Por isso, todo dia 29 é dia do gnocchi della fortuna ou nhoque da sorte.

A história motivou o Coliseu Studim, do fotógrafo Márcio Costa, a realizar a 8ª edição do já tradicional Nhoque da Fortuna, em Catanduva. A iniciativa é beneficente, com parte da renda revertida para o projeto Semear, desenvolvido pela Igreja Presbiteriana do Brasil. Devido à pandemia, a retirada do prato será no formato drive-thru, na quinta-feira, dia 29, das 10h30 às 12h30. Mas é preciso reservar o pedido até esta terça-feira, dia 27, pelo telefone 99726-2627.

O combo está sendo vendido a R$ 80 e serve até quatro pessoas, com 1 quilo de nhoque recheado de muçarela, três pães, 500 ml de molho de tomate e 680 gramas de doce de leite caseiro no pote de vidro. O nhoque já vem pronto, bastando despejar o molho e leva ao forno por 20 minutos. O drive-thru será na rua 13 de maio, 341, no Centro.

“Quem quiser ir mais a fundo na tradição, além de comer nhoque no dia 29, o ritual manda primeiro colocar dinheiro sob o prato, depois, come-se os primeiros sete pedacinhos de nhoque em pé, fazendo um pedido para cada um deles. Aí, então, reunida à mesa, a família se senta para comer à vontade”, orienta Márcio Costa.

CATANDUVA INVISÍVEL

Diante da previsão de queda da temperatura, o Coliseu Studium também lançou o projeto Catanduva Invisível. A ideia é estimular as pessoas a levarem um agasalho toda vez que saírem de casa para entregar a alguém que estiver precisando, nas ruas da cidade. Toda a equipe da agência está envolvida - modelos, bartenders, manequins, fotógrafos, maquiagem e produção.

Quem preferir, pode fazer a doação no drive-thru do 'Nhoque da Fortuna'. As peças coletadas serão entregues nas ruas ou encaminhadas ao projeto Semear. “Pode ser um agasalho, um cachecol, luvas, polainas, um cobertor, calça de flanela, moletom ou qualquer roupa que não te sirva mais”, aponta Márcio.