< Back

Catanduva tem saldo positivo na geração de empregos em sete meses

Foram 354 postos de trabalho abertos, bem abaixo dos 1.946 no ano passado

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: Divulgação/Governo do Paraná - Setor de serviços foi o que mais contratou e principal responsável por garantir o resultado positivo

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

O mercado de trabalho de Catanduva conseguiu se recuperar e fechou o mês de julho com saldo positivo no acumulado do ano. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o município registrou 9.552 admissões e 9.198 desligamentos de janeiro a julho, resultando em 354 postos de trabalho abertos no período.

O setor de serviços foi o responsável por garantir o resultado positivo. O segmento contratou 5.066 pessoas e fez 3.967 demissões, alcançando saldo de 1.099 vagas. Na sequência, mas bem à distância, aparece a indústria, com 1.566 admissões, 1.533 desligamentos e saldo de apenas 33 postos de trabalho. Com números tímidos, a agropecuária gerou 44 vagas (71x27).

Na outra ponta da tabela, quem mais fechou vagas de janeiro a julho em Catanduva foi a construção civil. O setor cortou 693 postos de trabalho no período: foram 1.008 admissões, em contraste a 1.701 desligamentos. O comércio também ficou no vermelho, com o registro de 1.841 contratações versus 1.970 demissões e saldo negativo de 129 vagas.

Levando em conta apenas o mês de julho, Catanduva registrou 1.249 contratações e 967 desligamentos, obtendo saldo positivo de 282 postos de trabalho. Na geração de vagas por segmento, a sequência ficou com a construção civil no alto da lista (saldo de 130 vagas), seguida pelo setor de serviços (112), indústria (42), agropecuária (14) e comércio (-16).

GRUPOS

Levantamento feito pelo Jornal O Regional no banco de dados do Caged revelou que, quanto ao saldo de contratações, as principais contribuições foram do grupo de Técnicos de Ensino Médio, com 693 vagas criadas no ano, seguido por trabalhadores de serviços administrativos (189). Já o principal déficit foi entre os trabalhadores da indústria, com saldo negativo de 400 vagas.

Na análise por grau de instrução, o mercado de trabalho deu mais oportunidades para pessoas com Ensino Médio Completo, que alcançou saldo de 364 vagas. Quanto ao sexo, as mulheres tiveram 495 vagas abertas no saldo, já os homens viram 141 vagas serem cortadas. Já no saldo por faixa etária, os melhores resultados foram para 18 a 24 anos (180) e 40 a 49 anos (147).

COMPARATIVO

A geração de 354 postos de trabalho em sete meses foi bastante abaixo do mesmo período do no passado, quando o saldo chegou a 1.946 vagas. Foram 10.701 contratações, contra 8.755 desligamentos. Na época, a principal contribuição foi do setor de serviços (1.987) e da construção civil (302). Já comércio, indústria e agropecuária tiveram saldo negativo.