< Back

Aviões fazem trilha de fumaça em dia de baixas temperaturas no céu

Fenômeno está relacionado ao clima e não à alteração de rotas

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: O REGIONAL - Céu ficou marcado por rastros deixados pela passagem das aeronoaves

Guilherme Gandini
Editor-Chefe

A passagem de aviões pelo céu de Catanduva chamou mais atenção nesta terça-feira, dia 3, do que habitualmente. Os registros fotográficos espalharam-se pelas redes sociais, com belas imagens do céu riscado de branco.

O fato está ligado às características do clima nesta data, mais especificamente às baixas temperaturas no nível de voo das aeronaves – algo entre 30 e 50 graus negativos. É a chamada “trilha de condensação”, uma espécie de rastro deixado pela passagem dos veículos com motores turbofan.

“O motor comprime e aquece o ar para ter pressão, e esse ar quente e úmido quando entra em contato com a atmosfera muito fria, gera a chamada trilha de condensação. É uma nuvem forçada, um efeito natural devido ao clima”, explica Silvan Riciano Pulido, gerente de segurança operacional do Aeroclube de Catanduva.

Segundo o especialista, não houve qualquer tipo de alteração quanto à passagem dos aviões, tampouco quanto às rotas. Trata-se somente de um efeito visual causado pelo clima. “A época de Inverno, com céu azul e limpo, é propícia para a ocorrência desse fenômeno.”