< Back

75% dos internautas usaram cartão de crédito nos últimos 12 meses, aponta CNDL

84% das pessoas consultadas não sabem a taxa de juros mensal em caso de atraso

Image-empty-state_edited_edited_edited.p

Foto: DIVULGAÇÃO - Pesquisa mostrou que a maioria dos usuários tem mais de um cartão de crédito no bolso

Da Reportagem Local
Publicado em 21/11/2021

A maior disponibilidade de crédito oferecida pelas instituições financeiras tem levado o consumidor a usar cada vez mais algum tipo de modalidade ofertada, principalmente os cartões de crédito. Apesar de trazerem comodidade ao consumidor e permitirem o parcelamento de compras, o uso do crédito pode trazer armadilhas para a organização financeira das famílias.

Levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Sebrae, aponta que 75% dos internautas brasileiros usaram o cartão de crédito nos 12 meses anteriores ao estudo, principalmente nas compras na internet (58%), quando falta dinheiro para pagar à vista e precisa parcelar (44%) e quando o valor da compra é muito alto (36%).

Entre aqueles que não usaram esse sistema de pagamento, a maioria (32%) respondeu que nunca teve cartão e que nem sente falta do serviço. A preferência pelo pagamento à vista, mesmo na ausência de desconto, foi outro motivo destacado, mencionado por 23%. Já outros (19%) afirmaram que preferem fazer pagamentos à vista para obter descontos.

A pesquisa também mostrou que a maioria dos usuários dessa modalidade tem mais de um cartão de crédito no bolso, sendo a média geral de 2 cartões: 25% afirmaram ter dois cartões e outros 25% afirmaram ter três ou mais. O percentual de usuários com apenas um cartão foi de 31%.

O presidente da CNDL, José César da Costa, destaca a importância do controle do uso do crédito por parte dos consumidores.

“É importante observar que a contratação de um novo cartão com a finalidade de aumentar o limite de crédito deve respeitar a renda. Por mais que seja possível continuar comprando no curto prazo, mesmo com o orçamento comprometido, em algum momento a fatura das compras vai chegar e, em caso de atraso, chegará com a cobrança de juros.”