Catanduva, terça-feira, 2 de setembro de 2014

O Jornal

Grupo Gerson Gabas de Comunicação
O REGIONAL é o mais antigo jornal de Catanduva em circulação, a sua primeira edição foi publicada em 7 de outubro, de 1971. O nome do matutino foi escolhido porque o exemplar iria ser lido em toda a região de Catanduva. O material sempre se destacou pelo ousado projeto gráfico e pelo conteúdo jornalístico, que traz sempre as principais notícias em primeira mão. 
Esse meio de comunicação foi fundado por Warley Agudo Romão. Na época, a novidade veio à tona durante entrevista concedida ao radialista Lecy Pinotti, na rádio Difusora da cidade. O empresário foi questionado sobre investimentos e anunciou os procedimentos para o início das atividades. Depois disso, Warlei teria viajado para São Paulo, onde comprou, segundo ele, uma imensa máquina de imprimir, uma linotipo (máquina que funde em bloco cada linha de caracteres tipográficos, composta de um teclado, como o da maquina de escrever), preparou cadastros para empréstimos e financiamentos. Na ocasião, Warlei também entrou em contato com alguns jornalistas, a intenção dele era trazer pelo menos um profissional para Catanduva. 
O projeto avançou e por volta de 1976 passou a ser dirigido pelo saudoso jornalista Gerson José de Camargo Gabas, empreendedor que lutou por um jornalismo local digno de uma coletividade como a catanduvense. Foi ele que, ao perceber que a velocidade das informações exigia esforço maior, introduziu computadores na redação para melhorar o processo de trabalho. 
Desde o início, O Regional sempre priorizou os serviços voltados para o interesse da comunidade. Uma das campanhas organizadas pelo jornal, comandada pelo jornalista foi sobre a mendicância na cidade. Em uma das ocasiões, Gerson Gabas saiu a campo na madrugada para averiguar o problema e contatou que dezenas de mendigos viviam abandonadas pelas ruas, sem qualquer tipo de assistência, enfrentando frio e fome. A intenção do trabalho investigativo era conscientizar a sociedade e as autoridades.
O objetivo da diretoria sempre foi publicar notícias do cotidiano da cidade, com informação correta, por meio de interpretação competente dos profissionais da área de jornalismo, sempre ouvindo diferentes opiniões. Atualmente, o jornal é dirigido pela professora Marina Ferreira Camargo Gabas, contando com o apoio dos filhos Rodrigo e Mara, continuando a ser um órgão dinâmico e imparcial. 
Por essas características O Regional começou a usar o bordão: O JORNAL QUE SABE DE TUDO. Com linha de conduta voltada para comprometimento com a verdade. 
Desde os anos de chumbo (período mais repressivo da ditadura militar no Brasil) até os tempos atuais, uma infinidade de fatos ficou registrada nas páginas e ajudaram a escrever a história do jornal. A isenção em matérias revela a identidade das pessoas do interior através de seus hábitos e cultura. Seguindo essa linha editorial, os assuntos do dia-a-dia sempre estiveram na pauta de O Regional. O jornal incorporou público que buscava informação precisa, impulsionando a leitura de diferentes classes sociais. Em pouco tempo expandiu sua participação no mercado publicitário, numa rapidez e proporção surpreendente. 
Nesta época, Catanduva estava em desenvolvimento. As implantações do Distrito Industrial e das usinas da cidade passaram a influenciar o processo de urbanização. 
No decorrer dos meses, o periódico ampliou o número de colaboradores que expressam diversos pontos de vista em artigos sobre diferentes temas contemporâneos e da atualidade, além das colunas diárias que destacam os eventos que movimentam a cidade. 
Em pouco tempo, o noticiário organizado por editorias ocupava lugar de destaque na região do Estado de São Paulo, em venda avulsa, na media dos dias úteis. Com credibilidade, este meio de comunicação também conseguiu conquistar a confiança dos anunciantes e colaboradores. 
Gráfica 
O jornal é pioneiro na implantação off-set da impressão colorida (o quarto off-set do país). Em 1975, a diretoria investiu em equipamentos e realizou uma modernização gráfica, começando a usar o sistema eletrônico de impressão e apresentando nova identidade gráfica, com possibilidade de novos cadernos e seções. Dessa forma, foi deixado de lado o sistema a quente, desempenhado pelas linotipos. Essa etapa gerou crescimento da área com tecnologia de ponta, proporcionando ao leitor mais qualidade de impressão em todas as páginas. 
Mas até chegar nesse processo, eram inúmeras as dificuldades para finalizar a impressão do jornal, situação traduzida por meio do artigo “É difícil acreditar, mas começou assim”, assinado por Ronaldo André Canhanero, em 7 de outubro, de 1998.
A máquina do fotolito era do tamanho de um fusca e funcionava quando o Renato Gil brigava muito com ela, montava-se o jornal quadro a quadro, primeiramente as notícias e parte das propagandas em uma máquina IBM. As fotos era fotolitadas e depois tudo era recortado e colado em página quadriculada, que depois de completa era fotolitada inteira e queimada em chapas de alumínio. Feito isso com todas as páginas que iam compor a edição, montava-se todas as placas de alumínio, uma a uma, na velha máquina de impressão importada (parecia uma locomotiva) que ocopava toda uma sala e as primeiras páginas que iam saindo eram defeituosas, borradas, completamente cheias de tinta e perdia mais de 100 páginas até o ajuste final. Era realmente uma complicação e lembro-me do moço que fazia essa parte, sempre esbravejando e resmungando.”   
Site 
O jornal O Regional nasceu moderno, com muita informação. Acompanhando o avanço da tecnologia, o grupo de comunicação inova com a criação do site O Regional On-Line. A página na internet foi lançada nos anos 90, com informativo em tempo real, não demorou muito para os resultados aparecerem e O Regional On-Line firmou-se como líder absoluto de acessos, consagrando-se como o mais acessado da cidade. Para atingir os desejos dos internautas, a página na web sofreu modificações, ganhou novos layouts, proporcionando ainda mais opções para as pessoas que buscam informações pela internet. 
Nova sede
Ainda nos anos 90, a empresa dá um passo importante em direção ao crescimento, momento em que todos os departamentos foram transferidos para a atual sede. O prédio próprio que concentrava as emissoras de rádio do Grupo Gabas de Comunicação foi ampliado. O Jornal acabou se tornando o carro-chefe da empresa. 
Com determinação, a equipe que produz o material busca avançar ainda mais. Nesses 40 anos, O Regional se destaca pela qualidade de seus textos, entre os quais o sólido trabalho realizado em nível regional dessa forma ganha importante espaço na imprensa pela seriedade.

acompanhe O REGIONAL

edição digital