Catanduva, quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Cidades

Catanduva Perde o Comerciante Julio Ramos Aos 79 Anos

Julio Ramos deixa a esposa, três filhos e seis netos

publicado em 30/11/2016 às 07:45

imprimir

JULIO Ramos com a família

JULIO Ramos com a família

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

Catanduva perdeu ontem (29) o comerciante Julio Ramos vítima de uma parada cardíaca aos 79 anos. Ele que fez parte da história de Catanduva e era muito querido pela população dessa cidade deixa a esposa, três filhos e seis netos. 
Ramos nasceu em 24 de julho de 1937 na cidade de Mirassol. Vindo de uma família muito humilde, veio para Catanduva em meados de 1963. Na época se instalaram em uma das colônias que ficava atrás do Posto do Oscar, nas proximidades da Rodovia Washington Luís. Foi lá que começou a trabalhar como garçom e com o passar dos anos teve o reconhecimento dos patrões e foi subindo de cargo. 
Em 1968 se tornou sócio e em 1970 o proprietário. Surgiu então o Posto do Julinho que se transformou em um ponto turístico na cidade e local de passeios para centenas de famílias da região aos fins de semana. Pioneiro no ramo de combustíveis, ele era proprietário do Auto Posto Caçula, que foi inaugurado em 1973. 
Também se tornou proprietário de postos onde se encontram o Auto Posto Bicão, na entrada de Catanduva e do Auto Posto Marimbondo que fica ao lado da Usina de Marimbondo na cidade de Fronteira.
O historiador Nelson Bassanetti lembra que Ramos era um empreendedor nato. “Ele era uma pessoa que estava à frente do seu tempo. Adquiriu um Posto de combustível que estava abandonado na Rodovia Washington Luís e fez do local um ponto de referência para quem passava pelo local. Em Catanduva, adquiriu terrenos e construiu o Posto Caçula na esquina das Ruas Olinda com Maranhão. Como visionário e empreendedor lançou e construiu o Edifício Julio Ramos de 12 andares na Rua Maranhão, nº 1560, após o seu posto. Que Deus lhe dê o merecido descanso e nossas condolências à sua família”, disse. 
Ramos era membro do Lions Clube de Catanduva desde 1985, associação da qual ocupou diversos cargos, sendo inclusive diretor da Legião Mirim.  Casado com Aparecida Landim Ramos, ele era pai de Maria Lucia, Julio Cesar e Rosiane. Além desses entes queridos, também deixa seis netos.
Júlio César Forte Ramos lembra com orgulho do avô. “Meu avô foi minha maior inspiração. Muito humilde, estudou até o quarto ano, mal tinha estudo. Começou servindo mesas, como garçom. Construiu sua vida através de muito esforço e muita dedicação. Deixa um tremendo vazio em nossos corações, mas sua memória e suas histórias continuarão sempre vivas, pois quem o conheceu, conheceu um coração generoso e que não sabia falar não”, disse emocionado.
O sepultamento de Julio Ramos está previsto para as 10h30 desta quarta-feira (30) no Cemitério Monsenhor Albino, local onde também é realizado o velório.

veja também

0 Comentário(s) + Escrever Comentário

NINGUÉM COMENTOU AINDA

acompanhe O REGIONAL

edição digital