Catanduva, terça-feira, 31 de maio de 2016

Política e Economia

Cidimar Porto Denuncia, Mais Uma Vez, Possível Direcionamento em Licitação

Vereador afirma que serviço não tem sido realizado depois de suspensão de processo

publicado em 12/06/2014 às 10:05

imprimir

Vereador  fala sobre atendimentos oftalmológicos

Vereador fala sobre atendimentos oftalmológicos

Overeador Cidimar Porto (PMDB) voltou a denunciar direcionamento em licitações abertas pela prefeitura de Catanduva. Desta vez, o parlamentar detalhou sobre os possíveis convênios que deveriam ser abertos com clínicas de oftalmologia para atender pacientes que precisam de todos os tipos de procedimentos.  
Antes da denúncia, o parlamentar também elaborou requerimento questionando os motivos para que a Prefeitura ainda não tenha feito nenhuma parceria para o atendimento da população que precisa de cirurgias de catarata ou outros. “A fila de consulta já ultrapassa oito meses de espera, imaginem as cirurgias. Infelizmente  hoje, tem pessoas que fizeram a cirurgia de catarata em um olho e que estão esperando para realizarem no outro. Pessoas diabéticas que exige um controle, não estão tendo e passam a correr o risco de ficarem cegas”. 
O parlamentar ainda fez algumas comparações sobre o uso do dinheiro público. “Enquanto gasta-se  R$179 mil mês por um software,  não consegue pagar por esse serviço”.
Porto afirmou que no edital aberto no ano passado houve irregularidades. “Em Catanduva, quando  há investimento, há direcionamento. Em 17 de julho foi aberta chamada pública e houve direcionamento. A secretaria encaminhou o edital que estava acostumado a fazer  e no meio do caminho, como hábito, trocaram o edital por um outro”. 
Segundo ele, as chamadas públicas devem ser publicadas com um mês de antecedência. “Mas essa ficou apenas 15 dias no site da prefeitura. Tudo premeditado. As clínicas foram analisar.  Mas não era mais como antigamente. Elas teriam de concorrer por  um lote total, teria de concorrer a 122 procedimentos, todos para poder estar e mais uma vez, colocaram procedimentos que seria impossível, a velha  história de grupos que querem serem vencedoras de editais, tirou o direito de igualdade de todas participarem”, comentou. 
Segundo o vereador, a chamada pública foi para a Justiça. “Pórem quando entraram com o mandado de segurança, mais uma vez suspenderam o processo. Então, fica aqui registrado o meu protesto, a população não pode pagar. As clinicas faziam 600 consultas e microcirurgias e o município não oferece esse tipo de serviço”, afirmou. 

Direcionamento
Cidimar Porto afirmou que a atual Administração tem sempre o interesse de direcionar os editais. “Eu creio aqui,  que 90% da cidade tem procedimentos direcionados e quando ganha outra empresa, eles impugnam e desabilita, como está acontecendo com o radar. Eu fui lá e a empresa Arco Iris não deu lance, agora ela está sendo habilitada, enquanto a outra que ganhou é desabilitada.  No caso da oftalmologia, colocaram alguns procedimentos que  não tem condições de clínicas pequenas fazerem, porque esses procedimentos nem são comuns. Tenho parecer do Ministério Público, que manifesta-se pelo reconhecimento de ilegalidade já que no edital não está claro quanto ao objeto e prejudica a participação de pequenas clínicas”.
O vereador ainda reforça: “A população não merece agonizar por interesse de particulares, se o prefeito tem compromisso com meio estado, a população não tem culpa. Se fosse pensar na população, teria aberto com o edital correto. Nem com os editais pronto, conseguem fazem e vira essa lambança. Em Catanduva, coloca-se em primeiro lugar  os investidores, em segundo os eleitores, a população que se frite. Desde que atenda seus compromissos, a população é deixada de lado”, concluiu.

0 Comentário(s) + Escrever Comentário

NINGUÉM COMENTOU AINDA

acompanhe O REGIONAL

edição digital